Mães de primeira viagem

Qual é a melhor idade para o primeiro smartphone?

Em um mundo onde as crianças praticamente nascem rodeadas por tecnologia, uma das perguntas inevitáveis na cabeça de pais e mães é: afinal, qual é a melhor idade para o primeiro smartphone?
A psicóloga e especialista em terapia comportamental Thaís Barros dividiu a reposta em diferentes idades e situações, para que os pais possam identificar qual alternativa que se enquadra melhor em sua família.

Até 5 anos

Nesta fase as crianças ainda estão desenvolvendo grande parte de sua coordenação motora, mas alguns estudos na área mostram mais prejuízos do que benefícios no uso deste tipo de aparelho, como a diminuição da socialização, dores nos olhos e nos dedos, e por isso, não é indicado.

De 6 a 10 anos

Com essa idade, a criança vê o smartphone como um brinquedo e utiliza apenas funcionalidades como jogos, internet e aplicativos. Se os pais avaliarem que a criança tem responsabilidade suficiente para possuir um smartphone, os mesmos devem ter disponibilidade para supervisionar a atividade do filho na rede. Algumas alternativas podem tornar o acesso mais seguro, como comprar o aparelho sem serviço de dados, permitindo que os jogos sejam baixados e jogados somente em ambientes wi-fi. Desta forma, você terá mais facilidade de controlar as atividades.

A partir dos 11 anos

Na pré-adolescência, o smartphone começa a ter a utilidade de telefone e pode contribuir para a comunicação entre vocês, como lembrar sobre o final da prova, ou mesmo avisar que você pegou um trânsito no caminho e que vai se atrasar para pegá-lo.  Nesta fase já é interessante pensar no celular como mérito: se a criança se mostra responsável em relação a cuidar de seus pertences (do material escolar, ou de suas coisas quando vai dormir na casa de um amigo), já entende como deve se comportar de modo seguro em relação à internet, consegue se organizar em relação a seus deveres escolares, demonstra “estar pronta” para poder ter seu próprio celular. Um plano pré-pago é o mais indicado para a idade e ajuda a criança a se responsabilizar pela utilização do recurso.

Estimule a responsabilidade

É importante ressaltar que, para ter seu próprio celular, a criança já deve ter algumas responsabilidades. Assim, o celular pode servir como uma motivação extra para lapidar este sentimento. Muitos pais acabam usando o aparelho como consequência para comportamentos desejáveis, do tipo: atingiu bom desempenho escolar, celular liberado. Necessidade de mais estudo e menos tempo livre, celular confiscado. Desta forma, a criança arca com as consequências de seus comportamentos. Selecionamos algumas formas de estimular esse senso de responsabilidade:

  • Recarga: A partir dos 11 anos, a criança já é capaz de compreender os custos de ligações, por isso deixar a recarga por conta delas, como um desconto na mesada, é um bom começo. Atenção: A partir do combinado e do valor estipulado, os pais não devem dar mais dinheiro para crédito, caso o valor seja consumido antes do final do mês.
  • Acessórios: Outra despesa que pode ficar por conta da criança, por meio da mesada, são as capas e fones de ouvido, uma vez que é bem provável que a moda entre os coleguinhas dite a aparência do smartphone.
  • Seguro para o celular: É provável que em sua primeira experiência com um smartphone, seu filho não tenha os mesmos cuidados de um adulto. Ao optar por um seguro, você fica mais tranquilo quanto a possíveis prejuízos em caso de acidentes com o aparelho e, por outro, ao arcar com as parcelas do seguro, ou parte delas, seu filho dará mais valor ao bem conquistado.
Em qualquer que seja a idade, os pais devem ficar atentos e se precaver em relação a um fenômeno muito observado atualmente, o consumismo infantil. Ou seja, querem, mas não precisam e cabe aos pais negociar e, se for o caso, negar. A dica é conversar sobre a real necessidade do smartphone e combinar as regras antes do uso.
Clique aqui para adicionar seu comentário

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mães de primeira viagem

Matérias Relacionadas

Baby ailing and lying measuring electric thermometer

Quando devo me preocupar com uma febre?

Camila Natalojunho 10, 2016
ilustracao gravidez capa

Ilustrações divertidas definem o que é estar grávida

Patricia Machadoabril 14, 2016
bebe chorando

4 maneiras de acalmar o choro do bebê

Patricia Machadoabril 8, 2016
Principais sinais de que o bebê está para nascer

Está na hora? Conheça os principais sinais de que o bebê está para nascer

Camila Nataloabril 4, 2016
cheerful kid licking ice cream

Pais podem correr riscos ao compartilhar fotos dos filhos nas redes sociais

Pedrokacthborianmarço 29, 2016
pascoa

3 brincadeiras para animar a Páscoa

Patricia Machadomarço 24, 2016
exame ultrassom

Por que o primeiro trimestre de gestação é tão importante?

Patricia Machadomarço 21, 2016
mãos bebê dedos

Abortamento espontâneo: o que causa, como lidar e como evitar?

Patricia Machadomarço 17, 2016
receitas para crianças

5 receitas para fazer com as crianças

Patricia Machadomarço 15, 2016